Finlândia foi o país que melhor enfrentou a pandemia

0
438
Fila de vacinação na Finlândia, com distanciamento social, onde mais de três quartos da população já recebeu ao menos uma dose de vacina contra a Covid-19. Fonte: Yle

A vida está voltando ao normal em muitas partes do mundo e, mesmo em nações atrasadas na vacinação, como o Brasil, há datas cada vez mais próximas nas quais se espera que os adultos já tenham recebido ao menos uma dose do imunizante, em um cenário de otimismo, se novas cepas e variantes não piorarem a Covid-19. Mas afinal, qual país enfrentou melhor a pandemia?

De acordo com um levantamento alemão, o resultado é incontestável: a Finlândia. E as demais nações nórdicas, com exceção da Suécia, também aparecem bem nesta lista. O Der Spiegel, maior plataforma de notícias da Alemanha, cruzou uma série de dados para criar um índice. Foram analisados 154 países do mundo com população superior a cinco milhões de pessoas.

De acordo com sua análise, a Finlândia (1,75 pontos) e Luxemburgo (2 pontos) foram os mais bem-sucedidos no enfrentamento da pandemia. Dinamarca e Noruega (2,05 pontos) empataram em terceiro lugar, seguidos por Taiwan e Cingapura. O único outro país nórdico na comparação, a Suécia, ficou em 20º lugar (2,68 pontos), empatado com Alemanha e Holanda. O Brasil, para efeito de comparação, ficou na longínqua 97ª posição.

O índice é baseado em quatro critérios: aumento da mortalidade desde o surgimento da pandemia, restrições na vida e liberdade das pessoas, desempenho do PIB em comparação com as projeções pré-pandêmicas e cobertura de vacinação na primeira dose. Como nem todos os países relatam mortes com precisão, o jornal decidiu analisar o excesso de mortalidade, que pode tanto abordar as subnotificações das vítimas do novo coronavírus como as mortes causadas pelo esgotamento do sistema de saúde com a pandemia, que podem ter dificultado outros atendimentos. Assim, a chamada taxa de mortalidade excessiva foi usada na comparação para mostrar mortes acima da média de longo prazo.

Especialistas apontam algumas das estratégias de sucesso da Finlândia. A principal foi uma boa comunicação pública, que alertou as pessoas com clareza, indicando que se as medidas restritivas fossem adotadas por todos, menos pessoas adoeceriam e mais rapidamente a vida voltaria ao normal. Isso ajudou em um engajamento social forte, onde a preocupação com o coletivo e com outro se sobrepôs aos ímpetos pessoais. Por último, o governo adotou uma série de medidas efetivas, como fechamento de aeroportos e quarentenas localizadas, baseadas em testagem de massa, que tornaram mais efetivas as medidas.

Os bons resultados da Finlândia são impressionantes e não se devem apenas ao peso do estado de bem-estar social do país ou à cultura Nórdica.. O país reportou 976 mortes relacionadas à Covid desde março de 2020. A vizinha Suécia, muito criticada por uma postura de minimizar o impacto da pandemia e tentar “manter a economia aberta” durante todo o período, com uma população quase duas vezes maior, registrou 14.643 mortes.

Este bom momento também se refletiu na fase final da pandemia, o que também ajudou a Finlândia a obter a liderança neste ranking. De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, a Finlândia tem uma das maiores taxas de absorção da primeira dose da vacina na Europa, cobrindo mais de três quartos dos adultos com 18 anos ou mais. Na sexta-feira, a média da UE era de 63,8%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui